quinta-feira, 11 de abril de 2013

Estimulando a "Escrita em letra de mão"


O MUNDO LETRADO E O DESAFIO A SER CONQUISTADO

Aprender é prazeroso. Instruir a ler e a escrever
é sublime! A alfabetização é um processo que
reúne diferentes conquistas. É um
procedimento gradativo baseado na
experiência de vivências e na aquisição de
diferentes aprendizagens.
Iniciamos os momentos de transformação que
permanecerão ativos pelo resto da vida das
crianças. São períodos importantes e delicados
que, técnica e pedagogicamente, se iniciaram
no Maternal. Na verdade, a alfabetização
começa quando a criança nasce, pois é quando
dá os primeiros passos rumo ao seu novo caminho, isto é, crescer e desenvolver-se. Ela aprende a
respirar, a comer, a chorar para ter suas necessidades e desejos atendidos, depois a sustentar seu
pescoço, alcançar objetos com as mãos, sentar, engatinhar, falar, andar, brincar, dividir, ganhar,
perder, ler e escrever.
Hoje em dia, já temos a certeza de que ler e escrever são atos sociais significativos e agregam o
indivíduo à vida de sua sociedade. A escrita não está limitada ao traçado gráfico das letras que
representam os sons, formando palavras, frases e textos, tampouco a leitura está restrita a
decodificação dos sons que as letras representam. Ler e escrever significa desenvolver aptidões que
envolvam os diferentes canais perceptuais.
Gosto de uma frase muito conhecida citada por Bill Gates: "Meus filhos terão computadores, sim, mas
antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os
nossos filhos serão incapazes de escrever -
inclusive a sua própria história"
As fases de desenvolvimento humano devem
ser respeitadas, estimular as diferentes
inteligências e ensinar o processo de
construção de leitura e escrita de forma
organizada e sistemática trará às crianças
oportunidades reais de aprendizagem e o
desafio será vencido.


Psicopedagoga Clínico institucional
Graduada em Pedagogia das Séries Iniciais

Pensando na palavra ESTIMULAR,  confeccionei uma sacolinha de TNT costurei, fiz crachás com nome do aluno e sobrenome, nada mais significativo do que desenvolver a escrita usando seu próprio nome, a parceria deve existir  na escola ,em casa, por isso criar uma rotina em casa para este momento na minha opinião é muito valioso .Tive essa ideia para complementar o meu trabalho que desenvolvo dentro da sala de aula vejam a aluna Raphaela Oliveira no momento de usar a sua sacolinha treinar o seu nome...







1 comentários:

ANDRIA MATOS disse...

Que fofo...
quero o molde da sacolinha
andriasud@hotmail.com

Postar um comentário